Seo Sete Ponteiras do Mar, em resina e bronze

 

                    

Quem olhar para o congá do Pai Maneco, vai encontrar a recém criada imagem do Seo Sete Ponteiras do Mar. A imagem em resina, que foi desenvolvida pelo escultor Sérgio Schaab, levou em torno de 70 horas para ser finalizada. “O processo de criação foi realizado através de entrevistas com cambones e com a Mãe Lucília de Iemanjá. Também busquei informações num livro que conta sobre a vida dele”, explica.

Sérgio já fez outros trabalhos de criação de imagens para a casa, seguindo o mesmo processo criativo com entrevistas e pesquisas. “Seo Caveirinha foi a primeira para o Terreiro, depois fiz a imagem do Seo Mangueira”, conta.

Sobre a imagem em bronze fundido, o escultor explica que o processo da fundição começa pelo molde, já feito para a peça em resina, agora preenchido com cera, que leva o nome de fundição em cera perdida. “Primeiro eu fiz a imagem com cera de abelha liquida. Depois a preparação de canais para receber o bronze. Posteriormente eu a envolvi numa massa de gesso e mais cinco minerais e levei ao forno a 700 graus. A cera derreteu e a massa ficou consistente. Então derreti o bronze e fundi dentro desse molde. Finalizei com lima tirando os excessos e polindo”, relata.

Além de criar novas imagens, o escultor também restaura as imagens antigas da casa. Oxalá, Oriente, Iemanjá, Ciganos, Iansã, Marinheiros, Boiadeiros, Xangô, Seo Zé Pilintra, são algumas restauradas por ele.

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.