Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, sexta-feira, 24 novembro de 2017

TALENTOS DO TERREIRO DO PAI MANECO: 4 – JOÃO SOTO, MÚSICO & CHEF DE COZINHA

 

Harmonia. Este conceito clássico faz parte da vida de João Soto em todas as suas atividades, profissionais ou espirituais. Ambas, separadas ou misturadas, nas proporções que forem necessárias estão sempre no dia a dia do músico e chef de cozinha. João Soto é o nosso quarto Talentos do Terreiro do Pai Maneco (TPM).

LANÇAMENTO DISCO SOLO
E o momento é especial para ele, que diz não se achar um talento especial, mas sim um talento em potencial, que prepara o lançamento do disco Tambu. “É um trabalho autoral no qual mostro minhas músicas como eu sou”, diz João Soto.

O lançamento do disco é no dia 15 de dezembro, no Teatro Cleon Jacques, que fica no Centro de Criatividade de Curitiba no Parque São Lourenço (Av. Mateus Leme, 4700 - São Lourenço - (41) 3313-7190). “Espero vocês lá”, convida.

MÚSICO
João Soto é músico profissional há 15 anos. Cantor, compositor e instrumentista, além do trabalho autoral, é atualmente vocalista da banda Denorex, que reinterpreta sucessos musicais dos anos 80 e reúne músicos e atores de Curitiba, da qual o ator Alexandre Nero foi vocalista também. João Soto estudou, mas não concluiu, Musicoterapia pela FAP. Teve passagem pelo grupo de MPB da UFPR, Bayaka e Poca Boca.

CHEF DE COZINHA
Graduado e pós-graduado em Gastronomia pela Universidade Positivo, também fez curso em Marbella, Espanha na Le Roche. São dez anos de trabalho profissional. Atualmente é chef no restaurante Jacobina e dá aulas no Seduc e Su Casa Gastronomia. Um dos seus sonhos é ter o próprio restaurante, que também terá música ao vivo.

HARMONIA
O conceito de harmonia se aplica tanto à música como à gastronomia. E para João Soto também à espiritualidade. “Está tudo inter-relacionado. Minha arte, minha profissão, minha espiritualidade”, conta. E a criatividade do músico também se manifesta no seu trabalho na Umbanda. E algumas das suas músicas são sempre cantadas nas giras: os pontos Dança de Oxum e Cura da Cigana, por exemplo.

Ouça aqui algumas das criações musicais de João Soto.

- OGUM DE ALGUM LUGAR

- DANÇA

- O CASÓRIO

“A música é o pulso da terra, do mundo, do universo. Tudo está ligado com a música, na mesma vibração, desde o ‘big bang’”, comenta João Soto. É por isso, que o conceito de harmonia é tão importante para ele. “Na música, na gastronomia e na nossa espiritualidade. ”

UMBANDA
A partir dessa compreensão que João Soto amplia os conceitos e inclui a Umbanda também na sua vida. “A Umbanda é, para mim, uma filosofia de vida, numa visão mais abrangente da religião. Porque a Umbanda é musical e nela vibram todas as forças espirituais e da natureza”, afirma João Soto.

E a gastronomia completa a harmonia da música com a Umbanda. “Não fazemos farofa? Não preparamos os amalás com cuidado, cortamos as frutas e arrumamos tudo da melhor forma? Então, também tem a harmonia da gastronomia”, diz. Tudo isso tem valor simbólico. “É um ato de revolução, ato de conexão”.

NÃO BATA CABEÇA À TOA
Se a harmonia é o conceito básico nessa história, é a harmonia que geram as festas no TPM, principalmente a “Não Bata Cabeça à Toa”, que faz a conexão que trouxe o músico e chef para a Umbanda. “Comecei a tocar nas festas com o Alexandre Nero e a Maquinaíma, acho que pela primeira vez em 2006”, conta João Soto.

“Nunca tive a ‘vibe’ por religião, mesmo meus pais sendo católicos. Nunca entendi muito a visão dogmática da religião”, lembra João Soto. “Eu já gostava das coisas afro-religiosas, conhecia um pouco da Umbanda, mas não imaginava participar”, conta.

VENHA DE BRANCO!
Mas isso durou até uma conversa com o Pai Fernando de Ogum. “Um dia, numa dessas festas, a minha mulher (Ana Telha) já participava, eu estava conversando com o seu Fernando e perguntei: Como eu faço para entrar na Umbanda? E ele respondeu: Venha de branco”, recorda João Soto.

E ele entrou e até hoje lembra do que o Pai Fernando lhe disse: “Vá de cabeça, vá de coração, que vai dar tudo certo”. E João Soto confirma que realmente o que lhe foi dito deu certo. “Você pode ser um bom ser humano com a Umbanda, com a música, com a gastronomia. Tudo está em ligação direta com a natureza e o astral. Tudo é arte, interior e exterior”, completa João Soto.
 

Bandeira da Amizade