Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, sexta-feira, 18 agosto de 2017

NOS BASTIDORES DO TERREIRO - Por Pai Caco de Xango

Nos Bastidores do Terreiro

Quase que a totalidade das pessoas que frequentam o Terreiro se encantam com o que veem e sentem. Realmente é maravilhoso perceber a harmonia e a alegria que toma conta do Terreiro no decorrer da gira. É a manifestação do mundo espiritual no mundo material ou talvez seja até mesmo o contrário, é pegar seres humanos e levá-los ao mundo espiritual. É uma energia sublime de paz, alegria, afeto, respeito, consideração e sobre tudo de amor. Mas isto, minha gente, é o mundo espiritual. O lado material desta comunhão é um pouco diferente. O que vou revelar agora talvez seja decepcionante para você que viu, vê e sente a magnitude, a força, a energia dos espíritos superiores, mas é preciso todos conheçam também o outro lado.

O que é um terreiro de Umbanda? A reunião de pessoas e espíritos com vários objetivos em comum. Que objetivos são estes? Permitir a manifestação de espíritos superiores, os quais, mesmo sendo muito mais elevados que os espíritos encarnados também buscam, pelo trabalho nos terreiros, a sua evolução, afinal evolução não tem fim; permitir que médiuns pratiquem a mediunidade por meio das diversas formas pelas quais os espíritos podem se manifestar, seja pela incorporação, pela intuição, pela inspiração, pelas psicografia, etc, etc, etc; Criar um ambiente harmônico em que pessoas em geral o frequentem e sintam-se bem, aliviadas, reconfortadas, no qual exponham seus problemas para as entidades sejam eles de ordem material ou espiritual, problemas como alcoolismo, depressão, dependência química, desespero, desânimo, exaustão mental, obsessão e outras coisas do gênero. É claro que dentro deste rol de necessidades surgem também pedidos por emprego, melhores salários, ajuda para vender ou alugar uma casa, um marido, um namorado. Tudo normal, tudo certo, afinal o problema, assim como a dor, não têm parâmetro. O que pode parecer uma questão sem importância para alguém, para aquele que está pedindo pode ser o maior problema do mundo. Cada um é cada um e isto tem que ser respeitado; Possibilitar aos médiuns o resgate de seus carmas, pois sem dúvida nenhuma, todos os que lá estão são grandes devedores do passado. São espíritos encarnados que receberam a benção de poder trabalhar no terreiro e reconstruir relações que foram desastrosas em outras encarnações. Somos todos seres que erraram muito em outras vidas e buscamos desesperadamente reparar nossos erros. Fomos todos trazidos ao terreiro por espíritos amigos que se preocupam conosco e nos mostraram o caminho para o resgate.

Então temos os dois lados: o espiritual extremamente elevado e o material extremamente imperfeito. Pessoas, que nada mais são do que espíritos encarnados e que trazem no âmago todos os defeitos de vidas passadas. Dentre os erros que produziram o carma, os mais comuns são os crimes de morte que tiraram a vida de alguém, a traição praticada contra amigos e até mesmo contra familiares, as injustiças, o roubo, a mentira, a inveja, a vaidade, o orgulho, o ódio, a vingança, enfim tudo que vai contra aquilo que o grande avatar Jesus Cristo um dia nos ensinou.

Entre estes dois mundos, entre estas duas realidades completamente diferentes, existe apenas um elo de ligação: o dirigente, o Pai ou a Mãe-de-Santo. Ele ou ela é o responsável por unir e compatibilizar a coexistência entre estes dois mundos, entre espíritos, médiuns e todos aqueles que frequentam o terreiro. Não é tarefa fácil, pois ele é cobrado incessantemente. Cobrado pelos espíritos, cobrado pelos médiuns, cobrado pelos pedintes e ao mesmo tempo ele tem que cobrar. Médiuns são pessoas que trazem consigo todo um conjunto de imperfeições e é claro que num terreiro com mais de 1500 médiuns que se relacionam entre si, existem problemas imensos. Existe a vaidade, o orgulho, a mentira, a inveja. Nas empresas comerciais não é diferente, mas no terreiro, por ser um local sagrado onde se consagra a religiosidade e a fé e onde se prega o amor ao próximo, as pessoas tendem a imaginar que é um lugar perfeito. Mas não é, nem poderia ser. O perfeito não existe neste planeta e nos bastidores do terreiro as dificuldades de relacionamento entre as pessoas surgem tal qual em qualquer ambiente que reúna algumas pessoas. Se até nas famílias é assim, por que no terreiro seria diferente, afinal são pessoas. De quando em vez um médium casado se envolve com uma mulher solteira ou o contrário a mulher casada com o homem solteiro, outras vezes os solteiros, homens ou mulheres não importa, exageram na troca de parceiros, alguns abusam dos sentimentos de outros aproveitando-se de uma paixão. Temos visto de tudo. Médiuns que revelam o teor de consultas, médiuns que mentem, médiuns que se escondem atrás de entidades para obter vantagens, médiuns que atendem em casa, que indicam outros terreiro ou cartomantes as quais cobram pelo atendimento espiritual. Ao longo de todos estes anos já vimos de tudo. Lamentamos muito, pois o maior prejudicado é sempre aquele que pratica tais atos. Aquele que se envolve num relacionamento amoroso muitas vezes cria problemas imensos dentro da família. Muitas famílias se desfazem por conta disso e o médium novamente assume um carma. Aqueles que abusam do sentimento de outros estão errando tal qual já erraram em outras encarnações. Aquele que revela o teor de uma consulta está traindo aquele que lhe fez uma confidência, aquele que cobra um dia será cobrado, aquele que se esconde atrás de um espírito está enganando a quem além de si mesmo? É na verdade um traidor. Aquele que bebe além da conta nos barzinhos por ai, pode falar mais do que devia e criar situações embaraçosas, desconfortáveis e até mesmo comprometedoras.

No centro de todos estes problemas está sempre o dirigente material do terreiro. Ele é cobrado pelos dirigentes espirituais para que recupere a qualquer custo estas almas imperfeitas e muitas vezes é cobrado pelos médiuns ou até mesmo pelos familiares ou frequentadores para que tome providências, para que advirta ou até mesmo para que expulse aqueles que erraram. O dirigente vive, tal qual diz o ditado popular, entre a “cruz e a espada”. Entretanto, a Mãe ou o Pai-de-Santo está alí como dirigente, não por acaso, mas sim, porque entre tantos outros atributos, são grandes conhecedores das imperfeições humanas e procurarão de maneira incansável atender a cobrança do dirigente espiritual para auxiliar o médium em sua evolução. Todos os desvios de conduta por parte dos médiuns sempre chegam ao conhecimento do dirigente. As entidades encontram um caminho para que o Pai ou a Mãe de Santo fique sabendo e estes sempre tomam as providências necessárias para corrigir o mau comportamento. A primeira providência e chamar o médium para um diálogo, uma conversa franca explicando coerentemente o que está errado. Outras vezes é necessário chamar atenção de forma mais incisiva, sobretudo quando há reincidência. Temos também no Terreiro Pai Maneco o Conselho de Ética encarregado de analisar comportamentos incompatíveis com a filosofia do Terreiro. O Conselho é soberano e pode advertir, suspender e, se julgar inevitável, até mesmo decretar o afastamento

definitivo do médium. Tudo pela ética e pela imagem do Terreiro Pai Maneco construída ao longo de mais de 35 anos de trabalho e dedicação de seus dirigentes. Todo este cuidado nós temos desde que o Terreiro foi fundado, entretanto é algo que aqueles que estão de fora, não percebem. A maioria das vezes criticam o mau comportamento, mas não sabem de todo o esforço para manter a corrente forte, unida e harmônica porque este esforço está também nos Bastidores do Terreiro.

Pai Caco

Categoria: Pai Caco.

Bandeira da Amizade