Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, segunda-feira, 20 novembro de 2017

"MILAGRE NA UMBANDA?!" por Renata Malschitzky e Marcos Matos

Foi numa segunda-feira, quando resolvemos, eu e meu marido, que seria bom levar nossos filhos para tomarem um passe, pois nosso filho Pedro estava muito triste com uma nova fuga de nossa cadelinha Bella, e as coisas estavam um pouco mais agitadas que o normal em casa.

Essa era a terceira vez em 11 anos de vida que ela aprontava conosco. Havia se passado 20 dias de seu sumiço e nós fazíamos incessantes buscas sem sucesso. Eu particularmente já estava conformada com o sumiço. Pedia aos guias que cuidassem dela, mas sem a esperança de reencontra-la.
Foi nessa segunda, que eu estava de branco exercendo minhas funções na gira e meu marido com as crianças na assistência, quando chamaram para a vibração e lá foi ele para a frente do Congá com os dois.
Os pontos entoando e Pedro começou a chorar incessantemente. Foi quando o Caboclo de Ogum Jeripirá (Mãe Camila) chamou ele para conversar:
- Por que você está chorando filho?
- Estou muito triste porque minha cachorrinha fugiu de casa.
- E o que você quer filho?
- Só quero que alguém cuide dela, porque ela está velhinha e doente.
- Olhe aqui (Congá) e escolha o que você mais gosta (Orixá).
- Esse aqui (Oxóssi).
- Então pegue essa vela e acenda lá no Jardim dos Orixás e peça para que cuidem dela.
Conversaram um pouco mais até que Pedro foi ficando mais calmo.
Acabou a vibração e lá foi Pedro com sua vela verde acender para Oxóssi. Acendeu e rezou muito do jeitinho dele com lágrimas nos olhos.
Enfim, acabada a primeira parte, e durante o intervalo eles me contaram o que havia acontecido e eu fiquei muito preocupada com o Pedro. Preocupação de mãe. Estava ficando tarde e eles foram embora para casa.
No trajeto para casa eles estavam conversando no carro, até que bem próximo de casa Pedro solta um grito dentro do carro:
-PAI!! A BELLA!!!!!!!
Marcos parou subitamente o carro e olhou para um canteiro embaixo do viaduto e quem estava de fato ali? A Bella!
A emoção tomou conta naquele momento.
Meu marido desceu do carro, chegou perto, a chamou e ela pulou em seu colo chorando. (Sim, ela realmente chora.)
Colocaram-na no porta malas do carro e Pedro pulou junto com ela e foi aos prantos de alegria e emoção com a cabecinha da Bella deitada em seu colo.
Bella voltou para casa com uma pata quebrada, mas nos trouxe muito mais do que a alegria de tê-la de volta em casa, muito mais que ver a alegria no rosto das crianças.
Essa passagem nos trouxe ainda mais fé e a volta de fato de nossa família para a Umbanda.
Essa foi uma daquelas provas que às vezes pedimos aos guias e Orixás, quando a incerteza ou a dúvida bate à nossa porta e a pergunta grita: O que estou fazendo aqui? Isso realmente existe?
Existe sim! O Pedro, a Bella e nós temos a certeza!
Salve o Caboclo Jeripirá!
Salve Ogum!
Salve o Terreiro do Pai Maneco!
Axé!

Renata Malschitzky - Gira de Segunda | Mãe Lucília
Marcos Matos - Gira de Terça | Pai Renato

 

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade