Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 17 dezembro de 2017

TALENTOS DO TERREIRO DO PAI MANECO: 3 – SERGIO SCHAAB

Que nada acontece por acaso quase todos nós sabemos, mesmo que a gente não saiba muito bem o porquê. Mas para algumas pessoas esse acaso é tão certo que nem causa muita surpresa quando ocorre. Acaba que se transforma em uma certeza bem clara.

E foi e é assim com o Sergio Schaab, médium que frequenta a gira da Mãe Lucilia, nas segundas-feiras, ao se revelar um “Talento do Terreiro do Pai Maneco”, quando, quase que por acaso, lhe surgiu a oportunidade de restaurar uma imagem de uma entidade a pedido de uma amiga do terreiro.

A partir daí ele virou um “restaurador” de imagens e redescobriu o artesanato. “Foi um acaso não acaso”, ri Sergio lembrando que a amiga Samanta perguntou se ele não conseguiria arrumar a imagem do Seo Pena Branca que era do pai dela. “Ele tinha falecido havia algum tempo e fiquei apreensivo. Mas topei o desafio”, conta.

Sergio diz que procurou um outro amigo que trabalha com restauração e pediu dicas sobre como usar os materiais para restaurar a imagem. “Queria saber como usar o gesso e as tintas e outras coisas. E ele foi me ajudando. E o resultado ficou bom”, lembra.

E o acaso deixou de ser acaso quando alguém sugeriu para a Mãe Lucilia que o Sergio trabalhasse na recuperação das imagens que estão no Jardim dos Orixás. “Comecei com Xangô, depois os boiadeiros e por fim foi com a imagem de Oxalá”, conta. E depois destas vieram outros trabalhos com as imagens do terreiro. Outro exemplo é o trabalho feito com a imagem do Seo Caveirinha. “Essa foi uma personalização muito especial”, diz.

Sergio diz que o trabalho de restaurar as imagens tem uma relação com a sua espiritualidade. “É uma intuição que me guia. Há uma conexão. E isso ajuda a definir uma linha no trabalho”, explica ele. “Muitas vezes porque agora a gente cria peças únicas ou faz a personalização de imagens”, detalha.

Esse acaso não acaso já rendeu mais do que ser só uma atividade eventual. Sergio criou uma página no facebook para divulgar o trabalho: “Artesanato GiraMundo” onde oferece serviços de restauração de esculturas em gesso ou cimento, personalização, desenvolvimento de peças únicas e pintura.

“Não sou um escultor. Faço adaptações de peças existentes e personalizo de acordo com a entidade e o desejo de quem pediu a imagem”, explica. Ele lembra da imagem que fez para representar Dona Maria Padilha dos 7 Cruzeiros da Kalunga. “É uma peça única. Eu fui sendo orientado pela pessoa que pediu o trabalho. Personalizando uma imagem até chegar ao que a pessoa queria”.

Sergio frequenta o TPM faz pouco mais de dois anos. “Eu frequentei, na assistência, por uns 30 anos o terreiro Cabana Pai Tomaz de Mauá do Pai Juvino de Xangô e que hoje é dirigido pela Mãe Zélia de Oxóssi”, conta.

No TPM é ativo participante da Orquestra de Berimbaus que é conduzida pelo capitão Maurício Sabão e não deixa de participar das oficinas de construção de berimbaus também. “Desde pequeno tenho uma ligação com o artesanato. Então, acho que não foi por acaso mesmo estar fazendo isso com as imagens”, declara.

 George Naday

Serviço:
Artesanato GiraMundo
www.facebook.com/artesanatogiramundo
(41) 9745-5881
 

Bandeira da Amizade