Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, sexta-feira, 9 dezembro de 2016

Miscigenação no Terreiro do Pai Maneco

O Terreiro do Pai Maneco recebeu nesta segunda-feira (9/04) mais uma visita especial, a da tribo indígena Fulni-ô que presenteou médiuns e assistência com sua cultura. Os índios vivem em Águas Belas, município de Pernambuco, com população em torno de 4.370 habitantes. Seu sustento vem basicamente do artesanato.

Convidado a adentrar o TPM, o grupo de índios mostrou um pouco de sua dança típica, emocionando os presentes. Acostumados a sentir a energia da curimba dos espíritos durante as giras de Umbanda, muitos médiuns foram comovidos pela apresentação, que parecia materializar a energia sentida na incorporação dos caboclos.

Já no início da gira, Seu Akuan, chefe do terreiro, fez questão de cumprimentar a tribo, que foi convidada a sentir a vibração da Umbanda no centro do TPM.

Quando o guerreiro chega, chega mesmo. A energia é forte e muito boa!” - afirmou Ekydelaya ao sair do meio do terreiro.

CLIQUE E VEJA GALERIA DE FOTOS

Seu Folha Verde também acolheu os índios com muito carinho, convidando-os para receber a vibração dos caboclos de Oxóssi – e vibrou com cada um deles! Ao final do trabalho, Otxayá, também parte do grupo, foi questionado sobre a vibração dos caboclos e afirmou: "Foi uma troca de energia muito boa. Enquanto recebia energia, nós também transmitimos”

E Ekydelaya concluiu:

Por mais que a etnia seja diferente, nós somos como carne e unha, trabalhamos para o mesmo fim, somos todos iguais”.

Dança e artesanato

No sábado (21/04), o  Terreiro do Pai Maneco recebe também o líder do grupo Fulni-ô, que irá mostrar mais da dança, da cultura e do artesanato do povo indígena.