Exu Gererê, por Bia Whiters

Foi o período mais difícil que enfrentei na vida. Meu filho estava doente e tinha piorado bastante, quando tive um sonho:
Eu estava procurando por ele,numa rua de pedras,aflita,com medo de não encontrar.Era um dia de sol,a paisagem era bonita,quando rapidamente o tempo fechou e surgiram figuras escuras,sentadas ,perto das muretas de pedra que cercavam o caminho.Fiquei apavorada,porque elas não tinham formas definidas,mas se moviam.Olhei pra trás,querendo voltar,mas elas estavam por todos os cantos,então decidi continuar,quando ouvi uma voz atrás de mim.Ele disse: “Tenha calma,não olhe pra trás e continue andando,me chamo Gegê (foi assim que entendi) e quem me mandou foi o Pai Fernando,não tenha medo,vou te acompanhar”
Acordei no mesmo momento,mas muito impactada pelo sonho tão real. Resolvi contar o episódio para a Mãe Lucília e ela me disse: “Acho que não é Gegê, é o Exu Gererê”,confesso que nunca tinha ouvido falar dele até aquele momento. E continuando,ela disse: “Vamos trabalhar teu filho na segunda feira” e meu coração se encheu de esperança.
Na segunda feira,lá estava eu,aliviada e ansiosa pra a gira começar. Então a corrente entrou,Mãe Lucília se concentrou e…nada.Parou,chamou a Cris Mendes e pediu pra ela tocar a gira e foi embora!!!!! Pense na minha angústia! Fiquei desesperada,mas pensei que a espiritualidade de alguma forma iria fazer o trabalho.
Começou a segunda parte,era gira de esquerda, lembro que em vez de serenar,de confiar,fiquei me questionando se a coisa seria mesmo feita.Foi quando a Carol Wanderley passou na minha frente, eu segurei ela pelo braço e disse: “Carol,me ajude.A Lucília ia fazer um trabalho pro meu filho hoje,mas foi embora,preciso fazer alguma coisa” Ela me disse “Venha comigo”, me pegou pela mão, parou diante da Cris Mendes,olhou,não falou nada e continuou a me puxar. Parou na frente do Caco,olhou também e saiu comigo em direção ao outro lado do Terreiro,quando parou diante de um Exu que estava dando consulta (desculpe mas não lembro quem era o médium) e disse: “Meu Pai, o senhor pode atender essa irmã da corrente?” Ele fez que sim com a cabeça .Foi quando a Carol  disse: “Espere aqui,Bia,quem vai te atender é o Exu Gererê” !!!!!!!!!
Eu não conseguia parar de chorar,chocada pela surpresa do momento. Então entendi,de uma vez por todas,que a espiritualidade trabalha de forma perfeita,independente da nossa compreensão. Senti na pele que realmente ” ESSA CORRENTE É DE FERRO,É DE AÇO”. Nunca mais duvidei, minha fé é inabalável e não poderia ser diferente.
Concluindo : O Exu Gererê me perguntou: “Por que chora,filha”? Eu contei a ele o ocorrido,ele sorriu e o trabalho foi lindamente feito. Quando acabou ele me disse “Pode ir,filha.E confie,não tenha medo”.
Saravá!

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.