Mãe Lucília de Iemanjá

Médium desde que a casa abriu, mãe pequena e depois mãe de santo, a Mãe Lucília de Iemanjá conheceu a Umbanda através de seu pai, Fernando Macedo Guimarães, há mais de 30 anos. “Ele era pai pequeno do Pai Ferro e frequentei com ele aquele terreiro na assistência. Quando o Pai Fernando construiu o Terreiro Pai Maneco, eu estava ao seu lado junto com muitos médiuns que ainda estão ativos na casa”.

Entidades que trabalha: Caboclo Sete Ponteiras do Mar (Ogum); Caboclo Folha Verde (Oxóssi); Caboclo do Vento (Xangô); Pai Joaquim de Angola (Preto Velho); Dona Maria Redonda (Preta Velha); Pedrinho da Praia (Erê); Pedro Mineiro (Boiadeiro); Cigano Germano (Cigano) e Exu Caveirinha.

Qual a melhor mensagem deixada em sua vida pelo Pai Fernando?
Nunca brigue por uma mentira, é mais fácil brigar por uma verdade, assim você tem argumentos.

Cite uma história marcante com alguma entidade que trabalha:
Quando comecei na Umbanda fui em outra casa e conversei com Dona Maria Redonda, mesma entidade que eu trabalho. Ainda nova, no alto de minha prepotência, saí rindo da médium, dizendo que não era ela, que a consulta tinha sido ruim e julgando aquele encontro. Durante meses tive dificuldades em incorporar nesta linha, até que um dia ela, através de um cambone, mandou o recado da Preta Velha: Que eu não era mais importante que aquele “cavalo” da outra casa e que eu era filha dela assim como a outra médium. Aprendi que não devemos julgar e muito menos “testar’ ninguém na Umbanda, pois a verdade não é nossa e sim da espiritualidade.

Deixe uma mensagem para os filhos da casa:
Como dirigente do Terreiro gostaria de agradecer todo o corpo mediúnico do Terreiro Pai Maneco, pois sem eles não teríamos a força que temos, pois sem eles não seríamos fortes e sei que lá na Aruanda, Pai Fernando olha por todos nós e que se sente orgulhoso de nosso trabalho espiritual.

2 comentários em “Mãe Lucília de Iemanjá

  • 15 de outubro de 2018 em 21:51
    Permalink

    Querida e amada Mãe Lucília, a quem busco socorro e sempre de braços abertos e orienta, que Oxalá continue te abençoando em sua jornada é uma felicidade ter a honra conhecer a senhora, sempre me lembro da senhora junto aos meus filhos aqui de BHTE – MG

    Saravá

    Nelson

    Resposta

Deixe um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.