A magia das guias

Segundo o Pai Junior de Iemanjá, as guias são compostas de elementos que juntos trazem proteção, vibração, força e aumenta a vibração com as entidades. Não são enfeites, não são adornos nem colares.

“O médium precisa saber que nem toda guia usada por uma pessoa terá o mesmo efeito para outra. Muitas guias são aconselhadas por entidades ou dirigentes para devidas situações da vida de cada pessoa. É ruim quando um médium vem falar que tal pessoa está usando aquela guia e também pede para usá-la. Temos que entender o significado de cada uma. Vamos compreender a necessidade de usar. Vamos entender o momento certo para usar. O tempo certo”, explica.

“Ela só traz se você precisar daquilo. Ela só vai te trazer força se você estiver precisando de força. Só traz proteção se você estiver precisando de proteção. E outra coisa, não é a quantidade, nem a beleza, nem o tamanho da guia que fará com que elas tenham mais força, mas vibração ou que vai fazer o desenvolvimento espiritual ser mais rápido. E sim a soma da sua energia, da sua força, junto com aqueles elementos daquela guia que irão fazer com que todas essas coisas boas aconteçam pra você”, conta.

Geralmente o médium ganha as guias após o Amaci. “Não quer dizer que mesmo não tendo as guias, nós não estamos protegidos. Temos muitas outras proteções dentro da casa, mas após o momento que ganhamos essas guias, elas irão trazer proteção, a força e uma ligação com a espiritualidade”, diz.

Para os trabalhos nas giras são usadas as guias de Oxalá, do Orixá, Preto Velho, Caboclo da Cachoeira, Linha Neutra e Exu. Cada uma deve ser usada no momento certo.

Pai Junior explica que existem médiuns que tem mais guias que outros devido ao seu trabalho com a espiritualidade, com seus guias firmados. “Os próprios guias quando sentem a necessidade eles recomendam o uso de suas guias de trabalho. Quando acontece, há necessidade da autorização do dirigente da gira”.

Sobre as guias de proteção, o terreiro tem como guias a guia do Pai Maneco (colorida com as 7 linhas), que representa a casa, a guia do Orixá de cada médium, a guia do Seo Sete Ponteiras do Mar e a guia de Exu do Seo Tranca Rua das Almas (preta, branca e vermelha), que só é dada quando há necessidade de ser usada.

Um comentário em “A magia das guias

  • 3 de julho de 2019 em 13:28
    Permalink

    Trabalhei dois anos como médium de incorporação num terreiro cujo a mãe de santo, já muito idosa, se afastou e foi substituída. Por não concordar com a nova regência da casa que envolve dinheiro, decidi abandonar este lugar. Estou visitando novos lugares, novos terreiros, até que eu encontre um que acolha a mim e meus guias em honestidade. Como nunca sei das regras de cada terreiro e é difícil perguntar antes, nunca sei com qual guia ir. Se posso ir com as da esquerda, se posso usar juntas esquerda/direito (foi-me ensinado que não se deve), se posso ir com as da direita e levar comigo as da esquerda… Apenas sinto necessidade de usá-las ao visitar uma nova. Ainda tenho muito o que aprender. Podem me ajudar nesse sentido?

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.