Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 23 abril de 2017

Minha Opinião - Maio 2009

A Umbanda fez 100 anos agora e está muito mais respeitada. Já está considerada a nossa religião, em vias de fazer parte da cultura imaterial brasileira.

O Rio de Janeiro sediava o Distrito Federal. Naquele tempo era a Cidade Maravilhosa, onde o malandro do morro transmitia a figura do sambista simpático, alegre e camarada. A bola rolava nos campos de futebol e o nosso jogador era o artista. O carnaval explodia de alegria e Copacabana era o orgulho dos cariocas. Os políticos viviam nesse paraíso.

O Brasil era tido como o Berço do Evangelho, segundo diziam os espíritas e profetas. Os espíritos de luz, para salvar o mundo, reencarnaram no Brasil, a terra pura e nova, ecológica e imensa, rica e ainda inexplorada.

A Umbanda já tinha sido criada em 1908, mas punha medo no povo e o preconceito ficou forte. Qualquer som de atabaque que identificasse um terreiro imediatamente a policia prendia todos seus membros. Enquanto os malandros e jogadores eram venerados, o umbandista era considerado o marginal da religião afro brasileira, o matador de frango e cabrito, o macumbeiro.

Juscelino Kubistchek, o adorável Presidente do Brasil, prevendo talvez que os malandros se tornassem os reis da droga, do vicio e do crime e os malabaristas da bola de campo fossem migrar para fora do País, o carnaval virasse meio de vida e ponto de briga entre escolas profissionais do samba e Copacabana fosse palco de arrastões dos pequenos ladrões, resolveu tirar o Distrito Federal do Rio de Janeiro e de uma forma arrojada, levando tijolo e cimento de avião, construiu Brasília. Só não poderia imaginar que estava construindo uma fortaleza para os políticos. Na verdade sua verdadeira intenção era tirar o Distrito Federal do litoral por medida de segurança, muito embora a bomba teleguiada já fizesse parte do arsenal mundial da guerra. Mas o Presidente Juscelino era bem intencionado, apesar de ter inflacionado o País e enterrado os trilhos do transporte ferroviário em favor da indústria do automóvel. Acho que o Lula já anunciou que vai voltar com o trem bala. Rio a São Paulo e São Paulo ao Rio. Curitiba será atendida daqui uns anos.

A Umbanda fez 100 anos agora e está muito mais respeitada. Já está considerada a nossa religião, em vias de fazer parte da cultura imaterial brasileira.

Os políticos estão se ajeitando dentro de uma vitrine que está cada vez mais transparente. Os maus estão sendo descobertos e os bons estão cutucando as tocas para que as ratazanas saiam e mostrem suas caras. O seresteiro Juscelino iniciou e o peladeiro Lula está com intenção de por as coisas em ordem.

Acho que o Brasil ainda vai ser o berço do evangelho e para isso os espíritos de luz criaram a Umbanda, que vai proteger o brasileiro e seus políticos. Para isso a Umbanda tem que acordar e não se deixar esmorecer em sua caminhada agora que somos a opção da religiosidade brasileira. Vamos analisá-la:

  • Uma religião que prega a igualdade não pode se gabar de ter hierarquia.
  • Uma religião que prega a humildade tem que sair do pedestal da prepotência e todos os dirigentes devem se tolerar.
  • Uma religião que prega a defesa na Natureza não pode deixar lixos nos seus trabalhos.
  • Uma religião que prega a saúde não pode fumar e beber.
  • Uma religião que prega a caridade não pode receber moedas em troca de seus trabalhos.
  • Uma religião que prega o amor pelo semelhante e o respeito à vida não pode matar bichos e usar seu sangue como elemento de evolução.
  • Uma religião tão cheia de coisas boas tem que acordar.

Essa é a minha opinião!

Categoria: Pai Fernando .

Bandeira da Amizade