Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 28 março de 2017

Minha Opinião - Julho 2009

A serra do mar é constantemente destruída pelos homens, os tucanos já quase não têm para onde ir. Em função disso o oxigênio já não é tão puro assim...

Eu estava passeando na minha chácara na serra do mar. Em uma subida íngreme dentro de mato segurei uma árvore para dar um impulso. Levei um susto porque no meu braço sentou o Zé Carioca, um tucano do peito amarelo e que foi criado dentro de casa.

Outro barulho chamou minha atenção e no meu pé estava a Filomena, uma fêmea de Jacu, também domesticada. Naquele momento senti toda a beleza da Natureza e dessa abençoada serra do mar, pois eu estava apoiado em uma árvore acompanhado por duas aves selvagens que não tinham medo do bicho homem. Respirei o oxigênio diferenciado e senti bater no meu rosto a suave sombra das centenárias árvores.

Repensando aquele momento lembrei-me que vi um documentário de um esportista voando com uma asa delta e um gavião também domesticado acompanhando-o, ora exibindo seu majestoso vôo, ora pousando ao lado de seu dono. Lá embaixo apareciam as praias do Rio de Janeiro. Naquele momento esse homem era o rei do céu. Imaginei sua visão lá de cima.

Um pensamento puxa outro e lembrei-me do caso de uma estudante do badalado Colégio N.S. de Sion que em uma redação escreveu que além do leite da carne e do couro, as vacas nos davam os ovos.

No raciocínio do passado, o Presidente Eurico Gaspar Dutra, em 1945 deixou milhares de pessoas sem emprego ao decretar a proibição do jogo de azar no Brasil. Cassinos caríssimos tiveram que fechar suas portas e, pior, seus salões de dança onde os artistas brasileiros sempre tinham um lugar para se apresentar.

O paulista Monteiro Lobato criou um sítio, o do Pica-pau Amarelo para de lá dizer que o Petróleo é nosso. Tudo isso, sei bem, é um emaranhado de pensamentos soltos e desorganizados. Cai, então, na minha realidade.

A serra do mar é constantemente destruída pelos homens, os tucanos já quase não têm para onde ir. Em função disso o oxigênio já não é tão puro assim. Lá do alto o rei do céu e seu gavião viam uma praia destruída pela poluição. Agora os políticos querem abrir os bingos oficializando a volta do jogo que o Marechal tão drasticamente tinha acabado. E o Monteiro Lobato lá da Aruanda com dona. Benta, a Vó Anastácia a esperta boneca Emilia e sua turma, torce que nosso Presidente venda o álcool e guarde para nós o petróleo. Falar em Presidente, o nosso é um forte candidato ao Nobel da Paz. É mole?

Para que no futuro possamos andar com aves e animais silvestres pelas matas do nosso Brasil é necessário que todos tenham a consciência de que devemos preservá-la ao invés de agredi-la. A Umbanda já está divulgando essa nossa obrigação. Voar em asa delta deve ser maravilhoso, mas com um gavião ao lado só se a Natureza não for destruída. As casas de jogos de azar e os pontos de venda de drogas deviam fechar por falta de fregueses. Ler e reler os livros dos antigos historiadores devia fazer parte das atividades dos umbandistas.

O erro da aplicada aluna que confundiu vaca com galinha não foi por sua culpa, pois nunca tinha visto uma vaca ou uma galinha ao vivo, tal era o total descaso de seus pais que não se preocuparam em mostrar isso para ela. Então amanhã, se o Umbandista cortar árvores, matar pássaros e animais, ficar viciado em drogas e no jogo e não zelar pelo ambiente planetário a culpa será nossa, dos dirigentes que não soubemos transmitir ensinamentos corretos aos nossos filhos de Umbanda.

Acho que no mínimo uma vez por mês os dirigentes deviam levar seus comandados para uma visitação nos matos, campos e praias. Sem trabalho, sem entregas, sem nada exceto o aprender a viver e evidenciar a Natureza. Fechar os olhos e tentar diferenciar os vários barulhos, cantos e piados que não haviam notado.

Vamos enaltecer a Umbanda. Correta, sem destruição e poluição nas matas, rios e mares, defendendo a qualquer custo a preservação de nossas riquezas, inclusive o total e irrestrito reconhecimento de sua nacionalidade brasileira e uma radical postura contra os vícios do jogo, do fumo, do álcool e das drogas. E também está na hora da Umbanda tomar uma posição definida sobre o uso do sangue e sacrifício de bodes e galos. Ela não pode ser a favor.

Essa é a minha opinião!

Categoria: Pai Fernando .