Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, sábado, 25 fevereiro de 2017

O Terreiro – Extensão da Nossa Casa

O Terreiro – Extensão da Nossa Casa

Terreiro, templo, tenda, centro. Muitos nomes para o mesmo significado. Quando seguido da palavra Umbanda deve passar a ser visto como “um local sagrado”. Sim, sagrado porque ali estarão reunidas pessoas em nome do nosso Pai Oxalá. O terreiro é o local onde se pratica a religião de Umbanda e apenas lá ela dever ser praticada. Não existe Umbanda sem ritual, sem corrente, sem pai-de-santo, sem segurança. É no terreiro que se reúnem todos os elementos necessários para a realização dos trabalhos, bem como é apenas lá que há toda a segurança indispensável para o bom andamento e fechamento da gira.

“UMBANDA É PRATICADA NO TERREIRO E APENAS LÁ.”

A casa em que moramos com nossas famílias é um local sagrado. Pelo menos deveria ser. Toda casa deve ser um local de harmonia, de paz, de felicidade, mas acima de tudo nossa casa é um local de convivência. As pessoas que ali moram, unidas pelos laços de família, têm que conviver entre si. Muitas vezes esta convivência é difícil, principalmente porque são em famílias que se reúnem espíritos com resgates cármicos. Com certeza absoluta, infinitos são os motivos que levam os espíritos a se reunir (ou serem reunidos) em famílias. Uma coisa é certa: a vida familiar não é fácil. Os pais e a mães devem estar preparados para enfrentar dificuldades imensas na criação de seus filhos; os filhos devem procurar entender os pais; o marido deve compreender o comportamento da esposa e vice-versa. Muitas vezes são os filhos que mais contribuem para o desenvolvimento dos pais e nem percebem isso. Irmãos auxiliam (ou prejudicam) irmãos e assim vai se criando uma imensa rede de inter-relações. Entretanto de uma coisa ninguém duvida: a vida em família é sempre melhor e mais que isso, é indispensável. Ninguém vive sozinho.
No terreiro algo semelhante acontece: não há dúvida de que os espíritos e as pessoas que lá se reúnem têm algo a resgatar e que esse resgate se dará pela convivência. O terreiro deve ser visto, então, como uma extensão da nossa casa. Ambos são locais sagrados, em ambos se reúnem pessoas ligadas por algum compromisso espiritual e todos estão, mesmo que inconscientemente, procurando evoluir, melhorar, progredir. O terreiro, assim como nossa casa, tem pai, mãe, filhos, irmãos e muitos objetivos. Assim como nosso corpo é a casa de um espírito, nossa família é a casa de alguns e o terreiro é a casa de muitos. O mesmo respeito que queremos em nossas casas devemos ter pelo terreiro.

“O TERREIRO É A EXTENSÃO DE NOSSA CASA”

Nossa casa, assim como nosso terreiro será o reflexo do nosso comportamento e acima de tudo do nosso pensamento. A vontade coletiva se sobrepõe ao desejo individual e, portanto o grupo deve ser conduzido de forma a ter pensamentos e atitudes voltadas para um objetivo comum. Cabe ao dirigente conseguir do seu grupo tal comportamento. Isto só será obtido com inteligência. É preciso fazer com que todos sintam-se como que fazendo parte de um projeto maior, no qual todos são importantes e especiais. Este sentimento tem que ser realimentado constantemente de forma que todos estejam sempre motivados. Motivação é tudo.

“NO TERREIRO TODOS SENTEM-SE IMPORTANTES SIMPLESMENTE PORQUE TODOS SÃO. ONDE TODOS SÃO, NINGUÉM É MAIS.”

“PARA O DIRIGENTE NÃO HÁ NINGUÉM ESPECIAL PORQUE TODOS SÃO ESPECIAIS. PARA ELE, SER ESPECIAL OU COMUM É A MESMA COISA”

Pai Caco de Xango
05/07/2014

Categoria: Pai Caco.