Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, sexta-feira, 24 novembro de 2017

Limite-se ao seu Limite

Todas as religiões fundamentam-se em dois elementos: o espiritual e o material. O material composto evidentemente pelas pessoas e coisas ligadas aos seus respectivos rituais. O espiritual constitui-se dos espíritos, mentores, mestres ou qualquer outra designação que queira dar-se aos construtores da religião. O componente espiritual obviamente é infinitamente superior ao material, pois comunica-se diretamente com o criador por meio de relações fluídicas muitos evoluídas e incompreensíveis para seres em evolução. Portanto o componente espiritual é inquestionável e absoluto enquanto o componente material é limitado e carece de acompanhamento.
Médiuns são o componente material sobre o qual atuam os espíritos e estes por sua vez procurarão aparelhos com capacidade proporcional as suas necessidades e desígnios que lhe foram atribuídos. Assim, um ser espiritual muito evoluído precisa de um ser material que esteja no mesmo nível ou pelo menos em patamar semelhante para que possa realizar sua missão.
Grave risco ocorre quando o ser material julga-se capaz de realizar tudo que tem vontade de fazer sem reconhecer os seus limites. Como elemento material e sujeito às limitações dos órgãos imperfeitos do corpo o médium constitui-se em máquina imperfeita e, portanto repleta de limitações.
Cabe então a cada ser reconhecer suas limitações assumindo suas incapacidades para determinadas tarefas sejam elas materiais ou espirituais. Muitos fracassam na matéria por julgarem-se capazes e correndo riscos desnecessários atiram-se em atividades incompatíveis com suas habilidades e então sofrem, choram, revoltam-se contra o mundo definindo-se como extremamente infelizes. Por isso recomenda-se: limite-se ao seu limite. Medite e descubra suas habilidades e capacidades. Exercite aquelas para as quais estiver realmente preparado e mergulhe em novas experiências somente quando as anteriores estiverem completamente dominadas. Não há humilhação em reconhecer uma inabilidade. Não há vergonha em não saber realizar algo maior. Pelo contrario, admitir suas limitações demonstra evolução e sabedoria.
Limitar-se, entretanto, não significa acomodar-se, mas sim preparar-se para dar o próximo passo. Creia nas suas habilidades, desconfie daquilo que supera o seu conhecimento. Um passo de cada vez e longa distância será percorrida. Muitos passos de uma só vez e o tropeço será inevitável. Só não limite-se no amor que possa ser dividido com seu semelhante. Não há limites para o amor. Na mesma proporção em que você amar receberá amor. É este amor sem limites que transformará o mundo.
Inspirada pelo Espírito Melchiades

Esta mensagem foi recebida na gira de desenvolvimento do dia 03/07/2014. Na primeira parte da gira o Pai Caco recebeu por inspiração uma parte do texto e na segunda parte, sem ter conhecimento do conteúdo recebido pelo Caco, a Mãe Lucília de Iemanja recebeu a conclusão da mensagem. Enquanto a parte recebida pelo Pai Caco é técnica e procura orientar os médiuns em sua caminhada material, a parte recebida pela Mãe Lucília é sentimental mostrando o melhor caminho para a felicidade espiritual. Ambas se complementam maravilhosamente deixando evidente que bons resultados são fruto da força da coletividade. É pela boa realização de uma vida material pautada no amor ao próximo que todos alcançaremos a plenitude espiritual.
 

Categoria: Pai Caco.

Bandeira da Amizade