Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 22 agosto de 2017

OLFATO - Por Denise Oliveira

OLFATO - por Denise Oliveira

 

Ervas
Na liturgia e nos rituais de Umbanda, vemos o uso de ervas seja na forma de amacis, banhos de descarrego, etc. Elas são utilizadas por possuírem uma grande quantidade de energia vital, no elemento vegetal, produzindo assim efeitos positivos ou negativos como todas as energias universais. Elas possuem o poder de atuar na aura, nosso campo energético, por isso os índios e povos antigos já as utilizam a muito tempo para inúmeros fins.

A umbanda utiliza desse elemento sempre com a orientação das entidades espirituais para seus rituais como descarregos, curas e/ou fortalecimentos energéticos.

Os banhos de descarrego são utilizados para eliminar vibrações negativas, limpando o períspirito de miasmas e até mesmo de influências negativas. Ou então para adquirir vibrações positivas vitalizando os chacras para fortalecimento mediúnico ou ligação maior entre o médium e os guias espirituais.

Para os banhos de ervas frescas devemos ter alguns cuidados tais como nunca ferver a erva, as folhas devem ser maceradas e colocadas em vasilhas de louça, se não for utilizar água quente as folhas devem ser quinadas, e a princípio, utilizar sempre água de boa qualidade tais como: água de mina, de poço ou mineral. Estes banhos devem sempre serem tomados do pescoço para baixo.

Existem banhos para todos os Orixás, a relação das ervas podem ser conferidas no próprio site do Terreiro Pai Maneco (www.paimaneco.org.br)

No amaci as ervas também são utilizadas, esse ritual é feito como entrada do médium na Umbanda, sendo feito com ervas específicas dos Orixás que são determinadas pelos Pais/Mães de Santo ou os guias dirigentes do terreiro. Tem a finalidade de limpar o campo astral e preparar o médium para seu ingresso na corrente mediúnica.

FUMO
O fumo é uma das práticas mais tradicionais dentro da terapêutica psico-espiritual dentro da Umbanda, ele é originário do mundo novo onde os nativos fumavam o tabaco picado e enrolado nas próprias folhas. Traz consigo os elementos terra e água em sua composição e ar e fogo quando utilizado. Em si, portanto, estão os quatro elementos básicos da natureza, além do elemento vegetal agindo como meio de descarrego, agindo sobre os chacras.
A utilização do fumo devido a sua forte carga etérea e astral, ao ser queimado libera energias que podem desintegrar fluídos do períspirito de encarnados e desencarnados.
O charuto e o cachimbo, ou ainda o cigarro, utilizados pelas entidades lançando a fumaça sobre a aura, os plexos ou feridas, vão os espíritos utilizando sua magia em benefício daqueles que os procuram com fé.

Os tipos de fumo mais utilizados na confecção dos charutos brasileiros são: Brasil-Bahia, Virgínia, Sumatra e Havana.
Nos trabalhos umbandistas a cigarrilha, de odor especial, é muito utilizada pelas Pomba Giras e Caboclas.
Os charutos de fumo mais fortes são mais utilizados pelos Exus, enquanto os charutos de fumo de melhor qualidade são usados por Caboclos.
Já os Pretos-Velhos dão preferência aos cachimbos, nos quais usam diversos tipos de mistura de ervas, como o alecrim, a alfazema e outros, além de utilizarem cigarros de palha, impregnando assim os elementos com a sua própria força espiritual.
Vemos assim que, como ensinou um Pai Velho, “na fumaça está o segredo dos trabalhos da Umbanda”.
Geralmente os Guias não tragam a fumaça, utilizando-a apenas para “defumar” o ambiente e as pessoas através das baforadas, apenas enchem a boca com a fumaça e a expelem sobre o consulente ou para o ar.
A função principal é a de defumar aqueles que chegam até a entidade. Algumas entidades deixam de lado o fumo se a casa for defumada e mantiver sempre aceso algum defumador durante os trabalhos.
O fumo é vegetal que traz o elemento terra e água, em sua composição e, os elementos ar e fogo quando utilizado na defumação. Conjuga, portanto, quando usado pelas entidades de Umbanda, os quatro elementos básicos – terra, fogo, ar, água -, além do elemento vegetal nos trabalhos de magia. O fumo é utilizado como meio de descarrego, agindo sobre os chacras dos consulentes.

Se prestarmos atenção na atitude das entidades incorporadas, veremos que enquanto estas fumam, estão constantemente jogando baforadas da fumaça de seu cachimbo, charuto, ou cigarro sobre aquele que com eles se consulta. Não tragam a fumaça, apenas enchem a boca com a fumaça e a expelem sobre o consulente ou para o ar. Para quem não sabe, nessa hora está sendo realizado verdadeiro passe, onde a defumação se conjuga com o sopro para realizar a limpeza energética da aura ou perispírito da pessoa.

É importante lembrar que nem sempre o fumo é utilizado, as entidades podem realizar o mesmo trabalho sem a utilização do mesmo, já que de uma forma ou outra o trabalho sempre é realizado.

O que é importante evidenciar é que ao ser utilizado pelas entidades cria-se um campo vibratório espiritual para realização dos trabalhos de Umbanda, suas “baforadas” carregam elementos terapêuticos e espirituais.
E torna-se mais importante ainda ressaltar que a utilização do fumo não significa que a entidade está presa à matéria e/ou é por vicio do médium, são ferramentas de trabalho que a natureza nos oferece desde os tempos mais ancestrais registrados pela história.

INCENSO
Os incensos são utilizados para criar uma atmosfera de equilíbrio e harmonia no ambiente, ajudando-nos assim a sintonizar mais facilmente com energias positivas e/ou o mundo espiritual. Também são utilizados para transmutar energias.
Todo incenso deve ser usado com bom senso, não devem ser utilizados para perfumar ambientes e devem sempre ser dirigidos para algum fim específico.
O incenso tem a propriedade de atrair energia de toda espécie e dos dois planos, negativo e positivo, tem força de ritual e de alimento também, tem força de rejeição ou de atração dependendo do patamar alcançado e da situação especial de quem as ascende.
Seu uso ou o que emana no mundo imaterial chega a ser disputado quando não pertence a ninguém que o esteja recebendo, podendo muitas vezes provocar visitas ansiosas por novos incensos a serem utilizados.
Os incenso são bastante utilizados pelo povo cigano, mas seu uso deve ser somente feito com a orientação de um guia dessa linha.

Diferenças entre incenso e defumação
A diferença básica é que a defumação trabalha mais profundamente para anular as larvas astrais e você pode fazer combinações específicas que alguma entidade ou pai-de-santo receitou.
Limpeza dos ambientes
Ambientes comercias, públicos: De maneira geral, os locais que tem grande circulação de pessoas devem ser defumados com bastante frequência para manter o equilíbrio e harmonia das forças que circulam diariamente.

PERFUME
A umbanda é perfumada, encontramos o perfume nas flores, nas ervas, nos charutos, até mesmo no café dos pretos velhos, algumas entidades fazem uso do perfume para seus trabalhos.
A memória olfativa é algo muito marcante para o ser humano, nossa mente também pode ser “perfumada” pelo som dos atabaques, as cores dos Orixás, as curimbas das entidades, o sorriso de um erê. Se a gente fecha os olhos sente todos esses perfumes e um carinho na alma.
A Umbanda traz em si todos esses perfumes, que nos trazem memórias afetivas, emocionantes, e que perfumam nossa alma. Devemos sempre levar dentro de nós o “perfuminho da umbanda” pois com ele podemos perfumar o mundo exalando tudo que aprendemos e vivenciamos dentro do terreiro, guiando-nos no bom caminho, nas boas atitudes, nos bons sentimentos, no nosso dia a dia.

Bibliografia
http://www.genuinaumbanda.com.br/as_ervas_na_umbanda.htm
https://povodearuanda.wordpress.com/2008/05/13/fumo-e-bebidas/
http://www.genuinaumbanda.com.br/fumo_e_bebidas.htm
http://umbandadejesus.blogspot.com.br/2011/01/incenso-dos-orixas.html
http://www.raizesespirituais.com.br/defumacao-incenso-e-simpatia-defumad...

Categoria: Grupo de Estudos.

Bandeira da Amizade