Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 26 março de 2017

Vó Sebastiana

Texto transcrito por Cleide, cambone, com base na fala da Vó Sebastiana na última gira, dia 18/11.

Liberdade é o contrário da escravidão, mas para entender o que é escravidão, é preciso entender que quando os filhos são escravos não tem escolha, não tem opção. Os filhos livres tem opção.

Quando vocês falam sobre o dia da Consciência Negra, não tem entendimento da dimensão disso. Vocês se propõem a homenagear essa data, os filhos falam que é para homenagear os pretos, mas o Brasil é formado por preto, polaco, italiano, japonês … Filhos ficam falando que é importante homenagear cores. Mas o dia é de pensar nos que não tiveram e não tem opção, não só pretos.

Então uma data dessa entra dentro do coração dos filhos e deve representar o reconhecimento de que nenhum ser humano pode ter seu direito de escolha roubado por outro ser humano.

Nenhum homem pode ser dono de outro homem, e nenhum homem pode entregar o seu direito livre de escolher e reger a vida a um dono, a uma religião, ao dinheiro, à vaidade, à paixão, às ideias de outra pessoa.

O preto hoje em dia vem no terreiro é liberto, mas tem muito filho encarnado que sequer percebe a escravidão que vive.

A preta está falando que é importante os filhos não se fazerem escravos de nada e nem tentar fazer algum ser humano escravo.

E a intolerância que existe muito hoje é um tentativa de escravizar também. Deve-se aprender a tolerar e respeitar o outro. É fácil de algemar, falar mal e não deixar o livre arbítrio se manifestar, que é a palavra mais importante. Livre arbítrio é o contrário de escravidão.

Categoria: Espaço do Médium.