Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, quinta-feira, 14 dezembro de 2017

Refletindo Sobre a Engoma

Refletindo sobre a Engoma

A Umbanda, definida muito bem pelo nosso Pai Fernando de Ogum, é som e movimento, o que reforça o papel especial e importante da engoma. A Engoma no TPM, e nos diversos terreiros de umbanda, é considerada sagrada e influência diretamente na qualidade da gira, auxiliando na incorporação dos espíritos.

Os Ogans e sambas, não são diferentes de qualquer médium. Eles também são influenciados pela energia movimentada durante a gira, são geralmente médiuns intuitivos, o que os conectam diretamente com a entidade dirigente da casa. Percebemos que uma engoma possui este alinhamento, quando a entidade dirigente através de seu ponto riscado e intenção, é compreendida e interpretada pela engoma através do canto e toques de atabaques, sem necessidade de palavras de comando. Os olhares e pensamentos nesta hora são ordens e comandos passados em alto e bom "som". Esta sintonia ecoa no médium e o conecta com as entidades de trabalho.

Segundo Pai Fernando de Ogum, " A batida dos atabaques e o canto, longe de serem executados de forma homogênea, variam de acordo com a entidade ou das linhas vibratórias. Não se toca e canta para Iemanjá da mesma forma que para Ogum. Os pontos de Pretos-Velhos apresentam uma variação formal imensa; alguns têm uma batida mais suave, outros uma cadência mais marcada. A percepção destas variações, todavia, depende da sintonia do Samba ou Ogan com a entidade.

A partir do momento que os ogans e os médiuns têm a consciência da importância do mantra dos atabaques, o respeito por eles ganha grande importância. Pouca gente cultua, mas junto aos atabaques, o Rum, o Rumpi e o Lé, sempre fica uma entidade zelando pelo som que eles produzem. No nosso Terreiro, o nome dele é Ogan Kaian."

Portanto seria bom que refletíssemos sobre a importância do comprometimento, conhecimento e ética necessária dentro e fora de um terreiro de umbanda, pois nossa conduta e pensamentos ecoam, influenciam um trabalho e geram uma reação. Uma boa gira depende muitas vezes de um maior comprometimento conosco e com o próximo.

Leonardo Macharette
Gira da Mãe Jô

Fontes:
Nossa Engoma é a alma musical
http://www.paimaneco.org.br/filosofia/engoma
O Canto nas giras
http://www.paimaneco.org.br/noticias/o-canto-nas-giras
Ogan Kaian
http://www.paimaneco.org.br/jornaltpm/jornal-do-tpm-4o-edicao/s-ogan-kaian
Minha opinião - Maio 2010http://www.paimaneco.org.br/textos/minha-opiniao-maio-2010
 

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade