Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 28 março de 2017

Reencontro com Seu Folha Verde

por Cinthia Marques (Gira de 3ª feira)

Minha mãe muito antes de eu nascer frequentava a casa (em Santos – SP) de um casal (Sr. Manoel e Dona Geni) já na época senhores, o qual o marido (Sr. Manoel) trabalhava desde sua juventude, com um Caboclo chamado “Folha Verde”.

Nasci em 1978, no hospital Ana Costa em Santos – SP. Assim que saí do hospital minha mãe recebeu a visita do casal, e Sr. Manoel recebeu o “Folha Verde”, o qual me pegou nos braços e disse:

A partir de hoje eu cuido dessa menina, será minha filha.”

Passaram se anos e eu, Cinthia, sempre muito curiosa com a espiritualidade. Entre idas e vindas, em 2003 voltei a Curitiba. Nessa época estava perdida como pessoa, com problemas familiares, dúvidas profissionais e conversando com uma amigo, o mesmo me disse que havia conhecido um Terreiro muito bom no Santa Cândida.

Entrei no site, peguei o endereço e fui em uma quinta-feira... O local me contagiou, mas parecia que faltava algo, e ao mesmo tempo em que eu não deveria parar de ir. Um dia conversando com minha mãe (que sempre adorou conhecer TODOS esses lugares), a mesma me chamou para ir, mas teria que ser naquele dia, uma quarta-feira. Eu nunca havia ido a outro dia, mas como ela queria, fomos!

Nesse dia, minha fé e meu mundo mudaram completamente.
Estava eu na gira do Pai Léo, e iniciaram os trabalhos. Cantaram para a chegada de S. Tupinambá, porém nesse dia havia também outro Pai de Santo, o Pai Jussaro, e assim chamaram seu Caboclo de Oxóssi – S. Folha Verde. Nesse momento, minha mãe se emociona e muito, e me conta a história, que até o presente era desconhecida por mim.  Eu, não dou muita importância, chego até a não acreditar muito nela.
Vou conversar com S. Tupinambá sobre meus problemas, e nesse momento, atrás de mim, uma entidade toca meu ombro e comenta com S. Tupinambá:

Tupinambá, essa é filha minha, desde que eu ia em outro cavalo, em outro lugar”
Olho para trás e observo que quem falava isso era “S. Folha Verde”.

Emociono-me, e a partir desse dia, só histórias maravilhosas para contar desse “Meu Pai”, que amo e sou grata em cada passo de minha vida.
Saravá Seu Folha Verde, Saravá os Cavalos de Seu Folha Verde.

Categoria: Espaço do Médium.