Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 12 dezembro de 2017

Linha Neutra‏

por Pamela Aragão

O que eu mais gosto na linha neutra é o caráter acolhedor. Com palavras singelas, as entidades conseguem acalentar nossas dores, acalmar nossas ansiedades, promovendo a reflexão e sempre tentando abrir nosso coração em busca do autoconhecimento. Quando conseguimos promover esse encontro consigo mesmo, abrimos espaço para a mudança e a evolução.

Durante uma gira de cigano, tive a oportunidade de cambonear uma entidade denominada Aramech. Um filho veio se consultar na tentativa de entender o porquê ele possui rompantes de agressividade, proferindo discursos dos quais ele se arrepende posteriormente. A entidade sabiamente trouxe uma mensagem muito similar com as palavras abaixo:

Muitas vezes o filho esbraveja e explode. O filho precisa enxergar e prestar atenção nas diferenças. Cada um precisa aprender conforme a distância do seu passo. O filho é único, a forma como o filho vai aprender é diferente da forma como o outro vai aprender. O mais importante é lembrar que o filho é o próprio cavalheiro dele mesmo”.

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade