Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 25 junho de 2017

FASES DA VIDA: CICLOS E DESAPEGOS – Por Bruna Cabral

Fases da vida: ciclos e desapegos

Acredito que todos nós vivemos em fases, ciclos. Chegando ao fim do ano, todo mundo começa a rever o que fez no ano que passou, o que quer melhorar para o próximo. E assim, mudam-se os planejamentos, iniciam-se coisas novas. Assim como alguns encaram todo início de dia e de semana como um recomeço, o novo ano é tb um novo ciclo, mas que encaramos com mais vigor! Afinal, é um novo ano, inteiro para nós! Repensamos idéias e atitudes. Organizamos os sonhos.
E essas mudanças são físicas na maioria dos casos. Mas e a reforma íntima? Espiritual e mental?

O início das listas para este recomeço, aposto que é basicamente:
- Quero guardar mais dinheiro;
- Quero emagrecer;
- Quero viajar;
- Quero comprar tal coisa.

Depois que comecei a pensar em mim como um espirito neste grande universo e, não apenas uma pessoa a mais na terra, minha lista começou a aumentar:
- Quero ser uma pessoa melhor, deixar coisas boas por onde eu passo. Quero ser amor! ;
- Quero não me irritar tanto comigo e com o próximo. Quero aceitar mais cada um, cada qual com seus defeitos, assim como aceitam os meus;
- Quero perder o peso, não do corpo, mas da mente, das costas;
- Não quero mais carregar o que não é meu, nem em pensamento.

Tanto querer... rs.

Há alguns meses comecei um novo ciclo. Os planejamentos para mudanças estão a mil. Nessa, há umas três semanas eu comecei a me incomodar com a quantidade de papeis de comprovantes que eu guardo e comecei nesta limpeza. Junto com isso, há uns quinze dias, Dona Maria Mulambo me mandou fazer uma entrega e lá jogar todo o lixo. Agora tem uns dez dias que fiz o amalá e conversei com ela novamente e, percebi o quanto de lixo que eu ainda deveria me livrar.

Na cabeça, os pensamentos que são muito rápidos, vem e vão e nos põe a querer entender coisas que as vezes não tem explicação e nisso, eu perco minutos preciosos, jogados no lixo. É hora de se livrar do pensar excessivo e desnecessário.
A necessidade de atender aos desejos dos outros, e, quando não se pode fazer, tentar de todas as formas um jeito, ao invés de engolir o orgulho e falar que não pode ajudar. Quanto tempo gasto, quanto tempo jogado no lixo. É hora de fazer o que pode (por si e pelos outros) e não se culpar pelo que não é capaz de fazer.
A minha própria falta de organização com quem eu sou. Se doar demais para algumas coisas e menos para outras, doação de tempo, pensamentos, atitudes em coisas sem sentido, quando poderia estar fazendo coisa melhor, aproveitando melhor meu tempo em vida. A necessidade da perfeição, em tudo que se faz, inclusive neste texto que não sai da minha cabeça, que estou guardando já há uns 7 dias, pensando, lendo e relendo... hora de passar pra frente!

É hora de desapegar. Desapegar de tantas coisas materiais que achamos importantes e que não viveremos sem elas. Desapegar de reclamações, de neuras, de pensamentos negativos e pq não, de tanto pensar!
É hora de viver com o que se tem, com alegria e prazer. De curtir cada momento, naquele momento! Sem estar em um lugar com a cabeça em outro. Fazer o que quer, dar valor as pessoas e situações que te fazem bem, no momento que vc divide tua vida com elas.

Que nós consigamos ter esta força de renovação, reestruturação. Que a gente pense no que é necessário, aja, e passe para a próxima! A vida passa muito rápido e o desapego de pessoas e situações é necessário.
E o que vc não precisa mais, joga fora no lixo!!

Um grande saravá à Dona Maria Mulambo! E tb a todas as entidades que me clareiam a mente e me ajudam, um pouco a cada dia, a ser uma pessoa melhor.

Bruna Cabral
Gira de Segunda 

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade