Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, quinta-feira, 14 dezembro de 2017

Evoluir pela Ciência

Evoluir pela Ciência

Nunca senti a necessidade, e muito menos encontrei razões lógicas, para tentar convencer alguém que o espírito pode se manifestar no mundo material.

Falar das curas, das mensagens que comprovam a veracidade das manifestações, das aparições, dos depoimentos de pessoas ilibadas e até mesmo do fenômeno das incontestáveis materializações, não modificam a opinião dos incrédulos. Não há razão para se discutir sobre religiões. A escolha do caminho de cada um é o direito da liberdade sagrada do livre arbítrio. Os parapsicólogos e religiosos estão sempre se digladiando, até mesmo publicamente, quando discutem a manifestação do espírito em nosso plano material. As falácias deturpam o real objetivo das religiões: retornar ao Criador!

Gosto quando os espíritos ordenam nossas idéias. Tudo começou com um telefonema do Roberto Ribas, um dos médiuns do nosso terreiro, quando me fez um pedido singular:

- Uma terapeuta que trabalha com as fotos Kirlian quer permissão para fazer uma foto com um médium incorporado, para ver qual será o resultado. O que você acha?

Foto Kirlian é uma máquina inventada pelos russos...(pesquisar), que fotografa a aura das pessoas, com a intenção de desvendar o estado de espírito, diagnosticar possíveis doenças, e descobrir eventuais aproximações negativas. Interessei-me.

- Acho ótimo. Pode combinar com ela para levar a máquina no terreiro.

- E qual o médium que poderá se submeter a isso?

- Quem? Claro que eu! Adoro novidades e não vou perder essa oportunidade.

- Você? – exclamou surpreso. E com qual entidade?

- Com o Caboclo Akuan. E depois, brinquei, quero saber como é a aura dele.

- Na próxima gira estaremos lá.

No dia da sessão, o Ribas me apresentou a terapeuta, uma moça simpática e falante. Estava eufórica por termos concordado com seu pedido. Não deixei ela notar que eu era o mais curioso de todos. Combinamos os detalhes. O Caboclo incorporou, riscou o ponto de firmeza do trabalho, dava gostosos tragos em seu marafo misturado com mel e tirava fumaças com seu imenso charuto, quando o Ribas, acompanhado da terapeuta, sentou-se à sua frente conforme o combinado e respeitosamente explicou:

- Caboclo Akuan, esta moça é uma cientista aqui na terra e quer fazer uma experiência com o senhor: fotografar sua aura.

- Fazer o que com minha aura? Respondeu, seco, o índio guerreiro.

- Caboclo, não sei bem como explicar ao senhor, mas seu cavalo já está sabendo. O Ribas respondeu, atrapalhado.

- Está bem então. Resmungou.

Sem muito rodeio, a terapeuta e o Ribas organizaram a ligação da máquina na tomada elétrica e iniciaram a experiência.

- O senhor tem que por o dedo, dentro desta máquina – explicou a terapeuta.

- Pôr o dedo aí? Por quê?

Às vezes os espíritos me atrapalham. Não sei se são ingênuos, ou espertos demais. Acho uma mistura, principalmente entre os índios. O Caboclo Akuan, e isso posso seguramente afirmar, ficava assombrado com a caixa de fósforo, quando um palito riscava e na sua ponta o fogo ardia. Por outro lado, aconselha políticos a tomarem decisões e discute química. Como saber? Difícil spírit-los. Depois de muita conversa, ele fez o que mandavam e o trabalho foi concluído. Satisfeito, o Ribas desligou o fio elétrico da tomada, enquanto a terapeuta guardava cuidadosamente sua estranha máquina, e alegre agradeceu:

- Muito obrigado, sêo Akuan. Vai ser, com certeza, uma experiência muito boa.

- Meu filho, estou sempre disposto a ajudar os outros. Mas, para saiba, dentro dessa caixa só está a energia do meu cavalo. Respondeu esboçando leve sorriso.

A esperteza do índio veio à tona. Ficou bem claro que desde o inicio ele sabia o que era foto Kirlian e fingiu-se de desentendido. Montaram tudo outra vez e fizeram nova foto, agora com a energia da entidade. Não houve nenhuma dúvida da intenção dele, separando as fotos – a minha e a dele, para futura comparação. Realmente, quando vi as fotos, fiquei impressionado com a diferença. A terapeuta colheu vários pareceres de especialistas em foto Kirlian, e chegaram à conclusão que a dele – da entidade, não tem como ser analisada, por ter fugido totalmente do padrão. Enquanto recolhiam o aparelho, o Caboclo Akuan sentenciou:

- A ciência sempre foi usada pelo espiritismo, para provar que ele existe. Está errado! Ele deve aproveitar a ciência, para evoluir e aprimorar sua pratica.

Neste episódio, o Caboclo Akuan demonstrou toda a habilidade inerente de um Chefe de Terreiro. Usou, com muito humor, o jogo de palavras, para dar conexão entre a ciência e o espírito.

Nunca tiro conclusões precipitadas das histórias dos espíritos. As coisas que eles fazem não se limitam ao momento, ao contrário, têm um alcance além do nosso pronto entendimento. É necessário paciência para spírito a-las. E o tempo veio esclarecer a parte conclusiva da trama habilmente arquitetada pelo Caboclo Akuan. Uns médicos me procuraram:

- Nós estamos fazendo uma pesquisa sobre o aborto. Gostaríamos da opinião da umbanda sobre o uso da pílula do dia seguinte, ou contracepção. Por ela ser abortiva, muito embora três dias depois da concepção, algumas religiões a combatem. – esclareceu um deles.

- Apesar de ser umbandista, não posso falar em nome da religião. Se vocês quiserem posso dar minha opinião pessoal – adverti.

- Sempre é uma opinião. – responderam, demonstrando decepção.

- O aborto é um tema polêmico, e sobre ele as religiões são austeras e radicais, inclusive o espiritismo. Seria um ato criminoso abortar o feto, se o espírito reencarnado estivesse grudado com ele. – afirmei.

- Mas, segundo dizem, ele já estaria reencarnado. Por que você insinua o contrário?

- O spírito só reencarna no corpo da criança, quando ela dá o primeiro grito. Afirmei, convicto.

- Você está declarando que é a favor do aborto? Perguntou, surpreso.

- De jeito nenhum. Sou contra, por entender que a gravidez rejeitada foi o fruto de uma paixão carnal, fugindo totalmente do princípio divino, que só admite o sexo para a perpetuação da espécie humana E os pais deveriam assumir responsabilidade de seus atos. Extravasei.

- Então as mulheres que provocam o aborto não são na sua concepção, criminosas? Enfatizou o médico.

- É comum às mulheres que abortaram, depois da conscientização do espiritismo, irem ao desespero por se sentirem criminosas. Vou aliviar seus corações, afirmando que os espíritos das crianças não estão cobrando nada, nem vão para o inferno. Esperam, com certeza, outra oportunidade de reencarnar.

- Se suas declarações são ou não verdadeiras não me compete julgar, mas elas são conflitantes com as que ouvimos até agora, principalmente quanto ao momento da reencarnação do espírito. A maioria afirma ser na concepção e você diz ser depois que nasce. Por mera curiosidade, nada tendo a ver com o objetivo da entrevista, você pode me dizer como chegou a esta conclusão, de um modo tão convicto? Perguntou, dando a entender ser o fim da entrevista.

- Posso, culpa da ciência. Esclareci.

- Como? Não entendi.

- Alguém pode me explicar, de modo convincente, como estão os quinhentos espíritos dos embriões humanos congelados na Inglaterra? Estão grudados nos quinhentos tubos de ensaio, esperando, sabe até quando, para serem gerados?

- É...Não tinha pensado assim... Respondeu o médico, despedindo-se, junto com os demais.

Depois que foram embora, olhei para cima, e pensei: “Salve, Caboclo Akuan, o grande cientista do espaço...”
 

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade