Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 12 dezembro de 2017

Azul da Cor do Mar

por Pai Béco de Oxóssi

Muita genta já conhece esta passagem mas vou repetir. Estava em casa pensando na gira e escutando música, quando começou a tocar Azul da Cor do Mar com Tim Maia cantando:

Ah! Se o mundo inteiro me pudesse ouvir, tenho muito prá contar, dizer que aprendi”.

Aprendi sim com as nossas entidades Pretos Velhos que a humildade é importante e devemos praticá - la sem, contudo, deixar de lado a nossa personalidade.

E na vida a gente tem que entender que um nasce prá sofrer enquanto o outro ri”.

A coisa mais difícil para se aceitar é que uma pessoa sofra enquanto a outra ri. Que merecimento é este? Nós não sabemos, mas, com certeza, o astral preparou as circunstâncias que cada ser reencarnado precisa experimentar para cumprir os objetivos desta reencarnação e seguir na busca da sua evolução.

Mas, quem sofre sempre tem que procurar, pelo menos vir achar, razão para viver”.

Isto sim é inteligente. Independentemente de sofrer ou não, devemos aceitar os desígnios e encontrar uma razão para viver. Aprendi, por exemplo, que uma das boas razões para viver é praticar o amor através da Umbanda. Isto me dá prazer de viver e me sentir útil. Me ajuda cumprir minha missão.

Ver na vida algum motivo pra sonhar, ter um sonho todo azul, azul da cor do mar.

Que a humanidade se conscientize que tem de preservar a natureza, amar o próximo e a Deus para que tenhamos um mundo melhor. Azul de Yemanjá, Orixá do Pai Maneco , Pai Miquimba e de outros tantos guias. Saravá os Pretos Velhos! Odoiá Yemanjá.

Salve, salve o irreverente Tim Maia que nos presenteou com esta bela música que traz na letra importante mensagem.

Axé!

Categoria: Espaço do Médium.

Bandeira da Amizade