Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 25 junho de 2017

TPM PARTICIPA DE GRUPO DO MUSEU PARANAENSE SOBRE PRESENÇA NEGRA NO PARANÁ

O Terreiro do Pai Maneco (TPM) é uma das entidades que estão participando do Grupo de Trabalho sobre a Presença Negra no Paraná do Museu Paranaense. A primeira reunião aconteceu no início do mês e contou com a participação de Mãe Pequena Cris Mendes e Denise Freitas de Oliveira. O convite foi feito para o TPM expusesse um pouco sobre a história da Umbanda no Paraná.

“Esse convite é o reconhecimento institucional ao trabalho que fazemos no Terreiro do Pai Maneco, não só espiritual, mas também educativo e cultural”, destaca a Mãe Lucília de Iemanjá.

Ela lembrou que a Fundação Cultural de Curitiba (FCC) já tinha feito reconhecimento semelhante ao convidar o TPM para participar do Conselho Municipal do Patrimônio Cultural de Curitiba (CMPC).

“O projeto do Museu Paranaense quer dar visibilidade a outro tipo de história do Paraná, valorizando a cultura de matriz africana. E a nossa participação é contar um pouco do que sabemos sobre a Umbanda no Paraná”, explicou Cris Mendes.

HISTÓRIA ESCONDIDA

Para Denise de Oliveira, o trabalho do museu tem um objetivo bem claro. “A iniciativa é a de inclusão dos negros na história do Paraná. Um tema que quase sempre se manteve escondido e esquecido quando se pensa no que a presença negra representa no estado”, comentou ela, que durante cinco anos coordenou o Grupo de Estudos do TPM sobre a Umbanda.

Bandeira da Amizade