Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 25 julho de 2017

Retorno às atividades - Mãe Lucilia

As giras do Terreiro do Pai Maneco recomeçaram na segunda.

A alegria é muito grande e a segurança que tenho nos espíritos me deixa ansiosa, animada e eufórica. Sinto que lá em cima todos estão atiçados.

Começar um trabalho espiritual parece fácil, é só abrir uma porta e evocar mantras que tudo se completa, mas faz parte da Umbanda pés no chão, dizer que para abrir as portas de uma Casa não é tão simples.

Temos vários médiuns e cada um com seu amaci, que representa sua luz. Nós, dirigentes, temos como obrigação em mantér esta luz sempre acesa e é por isto que somos chamados de zeladores, porque zelamos para que o alguidar de cada médium esteja iluminado e alimentado por ervas.

Quando cantamos o ponto que é do ritual de nosso Terreiro, o do pai de cabeça, olhamos para cima e enxergamos nosso alguidar, que é a peça fundamental do amaci.

Neste recesso, nós (dirigentes do TPM), retiramos todos os alguidares, lavamos, defumamos, cortamos as ervas para alimentar e zelar pelos médiuns. Limpamos o terreiro de ponta a ponta (materialmente e espiritualmente) para que este ano começe sem qualquer energia passada e desagradável!

Oriento à todos que assim começem seus trabalhos. Deixem em casa toda poluição mental, todos seus adereços na gaveta, tomem um bom banho de água corrente, de descarrego e venham para o Terreiro limpos de tudo.

Pai Fernando dizia às vezes apara mim:

- "Hoje Lucilia, vou para o Terreiro me espalhar!"

Espero que todos venham assim neste ano! Que assim seja!

Saravá e muito obrigada por fazerem deste Terreiro, nosso!

Lucilia Guimarães

Bandeira da Amizade