Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, domingo, 23 julho de 2017

Escola de Umbanda do Terreiro Pai Maneco

A Escola de Umbanda do Pai Maneco

Dia 08 de maio de 2014 iniciamos mais uma turma do curso de Fundamentos da Espiritualidade na Escola de Umbanda do Terreiro Pai Maneco. Nesta aula inaugural lançamos a seguinte pergunta:
Por que você quis ser Umbandista e decidiu entrar no Terreiro Pai Maneco?
Veja as respostas:
1- Porque aqui, cheguei “em casa”. Isso resume tudo.
2- Eu quis entrar para esta “família” porque descobri que existe algo maior que o mundo em que vivia e de repente meu egoísmo não podia mais fazer parte da minha rotina. Eu tinha que evoluir, aprender e ajudar. Não necessariamente nesta ordem.
3- Porque a Umbanda é uma escola para o espírito evoluir e seguir um caminho de progresso.
4- Porque o Terreiro, a Umbanda, me explicaram e fizeram aceitar quem eu tentava não ser.
5- Convivi com espíritos a vida toda. Sempre tive medo e sempre busquei uma religião, uma fé. Quando conheci o Terreiro Pai Maneco passei a achar normal o que via, o que sentia, passei a me sentir aceita por um grupo de pessoas sobre o que sentia. Com o tempo perdi o medo e por isso fiquei aqui.
6- A princípio cheguei pela dor (Recebi o recado em forma de prece – Oração de Akuan) através de um centro Kardecista. Cheguei, incorporei, senti toda aquela energia, luz e decidi ficar não pela dor. Porque aquela passou, outras virão afinal estou viva. Mas ficar pelo amor, pela fé que cresce e espero que continue a crescer a cada dia para o meu crescimento. Saravá !!!
7- Quando entrei no Terreiro do Pai Maneco foi pela música, pelo ritmo e pela alegria daquele ritual, mas depois de algum tempo e passar por algumas situações que quase me tiraram daqui, percebi que poderia me equilibrar melhor, me centrar e ter maior controle do meu interior que por sua vez controla tudo a minha volta. Quero aprender e evoluir e levar tudo comigo.
8- Comecei a frequentar o Terreiro em busca de paz e equilíbrio espiritual e de como me manter nessa paz e nesse equilíbrio.
9- Nunca me perguntei o por que de querer ser Umbandista. Só sei o que senti quando cheguei aqui no TPM. Senti que era a minha casa e que me sentia protegida. Mas, hoje com sua pergunta vou tentar responder: porque quero entender a minha mediunidade, evoluir como pessoa e estar atuando dentro da Umbanda Pés no Chão.
10- Porque após uma busca interior e uma busca entre as religiões encontrei a que faz meu coração pulsar mais forte. Foi a religião que mais me trouxe indagações, mas a que proporcionou mais conhecimento, tranquilidade, paz, euforia. Enfim, uma mistura de muitas coisas, que me faz acreditar cada vez mais que estou aqui para alguma missão, algum aprendizado, desenvolvimento e crescimento.
11- Quero ser Umbandista para ajudar ao próximo e ser ajudada, me desenvolvendo como pessoa carnal e espiritual.
12- Na verdade nunca passou pela minha cabeça em entrar no terreiro. Cheguei aqui porque minha mão quis ver o Terreiro e desde então não consegui sair. Achei muito interessante e envolvente e me fez muito bem em todos os sentidos de minha vida.
13- É uma resposta difícil, pois não tenho conhecimento profundo sobre espiritualidade, mas os ensinamentos, a força da corrente é grande e o bem estar que sinto quando estou aqui é algo indescritível, o amor, a paz me faz bem e quero cada vez mais estar presente.
14- Busquei a Umbanda com o objetivo inicial de ajudar o próximo, mas acabei descobrindo estar me ajudando. A caridade, que era para ser ao próximo, foi para mim.
15- Durante cinco anos estive na assistência. Tive um auxílio muito importante do TPM em minha vida e conhecendo o trabalho de todos, senti uma necessidade de me ajudar e ajudar ao próximo.
16- Por que quis ir para a Umbanda? Simples, única religião que me arrepiou, principalmente no TPM por sua disciplina.
17- Entrar na Umbanda me traz tudo que existe de bom: força, fé, garra, esperança e principalmente me dá mais força para ajudar a quem precisar. “É a vontade maior que tudo”.
18- Devido a vários problemas de saúde após o nascimento, cresci acreditando que tinha uma missão valiosa para cumprir. Muitas religiões se passaram e aqui encontrei aquilo que me faz bem e consigo fazer o bem.
19- Normalmente buscamos a espiritualidade quando estamos passando por momentos difíceis, buscando respostas para as adversidades da vida.
20- Desde muito pequena sentia os “sintomas” da mediunidade: ouvir, sentir, ver. Vinda de família católica o desconhecimento atrapalhava no entendimento. Em resumo, posso dizer que após várias experiências, buscas e estudos sai do catolicismo para o espiritismo Kardecista e acabei me encontrando na Umbanda. Posso dizer que estou na Umbanda por pura afinidade. Me sinto bem aqui e acredito que me realize dentro dos trabalhos aqui realizados.
21- Sou Umbandista por amor. Sou Umbandista porque quero ser um ser humano melhor. Sou Umbandista porque vibro ao ouvir o atabaque, me emociono com a simplicidade do Preto-Velho, sorrio com a alegria das crianças e respeito a seriedade do caboclo, mas acima de tudo porque quero um mundo melhor e aqui posso lutar por isso. Ajudar e ser ajudada.
22- Cresci na religião evangélica. Então toda a minha família, irmã, mãe, pai, avô, avó, tios primos são evangélicos, mas nunca me identifiquei. Então depois dos 16 anos andei com as próprias pernas e fui para um terreiro de Umbanda e agora estou aqui, em uma religião onde me identifico graças a Oxalá.
23- No catolicismo me sentia como se faltasse algo, incompleto e aqui me sinto bem. É como diamante bruto que precisa ser lapidado. Busca de conhecimento.
24- Acredito que me chamou muito a atenção foi o Terreiro Pai Maneco, pela forma como que se pratica a harmonia e o amor ao próximo. Me identifiquei e faço sempre estes mandamentos. Penso que precisava me sentir melhor fazendo algo de bom para alguém.
25- Entrei na Umbanda para: evoluir espiritualmente, ajudar o próximo, trabalhar com as entidade e tirar o máximo de conhecimento e aprendizado delas, diminuir a conta (resgate cármico), aprender, respeitar e cumprir as leis de Umbanda do Terreiro
26- Eu escolhi a Umbanda por me identificar com a doutrina, onde acima de tudo olho ao próximo sem nenhum reconhecimento prévio. Não gosto de aparecer nem chamar atenção e acredito que o verdadeiro Umbandista faz sim sem ver a quem, sem necessidade de algum tipo de reconhecimento.
27- Não sou Umbandista, mas sempre gostei do espiritismo em geral. Comecei a frequentar a princípio pela minha esposa que é de quarta-feira da Mãe Jô e acabei gostando bastante e fui querendo conhecer cada vez mais. Eu gosto e quero aprender muito ainda sobre toda a Umbanda.
28- Quero ser Umbandista porque a Umbanda não afirma ser a única verdade. Prega realmente o amor e a caridade sem impor mil tipos de grilhões. Apenas ser e fazer o bem é a única regra.
29- A princípio vim buscando ajuda. Ao entrar vi que estava aprendendo a me conhecer melhor e de alguma forma ajudando o próximo.
30- Eu entrei para a Umbanda para entender melhor o mundo espiritual bem como a minha passagem pela Terra.
31- Decidi entrar para a gira, para a Umbanda quando senti muito forte o amor das entidades. Me encantou principalmente o quanto amoroso e cuidadoso pode ser Exu. Percebi que tenho muito a aprender e evoluir, começando por mim. Para me tornar uma pessoa melhor para as pessoas que convivem comigo e de certa forma um dia poder ajuda-los ao menos com uma palavra.
32- Já estudei varias religiões. Foi quando num sábado anoite vim ao Terreiro levada por uma amiga e a energia me fez sentir muito bem (era gira de ciganos). Então comecei a vir na assistência e a ler sobre o assunto e o que me atrai na Umbanda é a simplicidade e a disposição tanto dos espíritos como dos filhos de corrente de ajudar o próximo.
33- Para começar a organizar a minha essência, trazendo crescimento pessoal e teria a oportunidade de passar boas energias ao próximo.
34- Quando conheci o TPM estava em um momento difícil, recebi muita ajuda, ganhei paz para o meu coração e por gostar desta religião resolvi entrar para ajudar da mesma maneira que me ajudaram, fora a alegria que é fazer parte desta família.
35- Porque a Umbanda foi o único lugar/religião que me convenceu definitivamente da existência de um Deus que comanda tudo e da existência de um mundo/entidades espirituais que interagem conosco o tempo todo. Foi como conseguir finalmente se encontrar em um ambiente onde acredito piamente em tudo o que ali acontece.
36- Sempre fui uma buscadora e nesse sentido frequentei quase todas as religiões. Durante muitos anos fui Kardecista, mas sempre senti que faltava algo em todas elas. Na primeira vez que pisei no Terreiro senti uma emoção imensa e fui contagiada pela alegria das músicas e pelo amor das entidades. Não consegui mais imaginar minha vida sem estar contaminada por esse grande amor que nos envolve e ensina.
37- Durante uma conversa com um amigo me despertou o interesse de conhecer a Umbanda que ficou adormecido. Depois de algum tempo conheci outra pessoa que frequentava o Pai Maneco onde passei a frequentar junto.
38- Quero entrar pois desde de criança admiro a religião e a conexão que o médium tem com os espíritos. Uma religião séria e com alegria.
39- Porque nenhuma outra religião me dá tanta explicação como a Umbanda me dá.
40- Entrei na gira por necessidade de querer estar no meio do Terreiro sentindo aquela energia que muito me encantou.
41- Porque acredito na fé sendo a base da minha vida, o motivo que estimula um sentido para continuar vivendo e foi no Terreiro que encontrei uma afinidade de idéias para desenvolver minha fé.
42- Procurei e estou hoje na Umbanda para crescer e tentar da melhor forma auxiliar meus semelhantes em suas eventuais necessidades.
43- Sou Umbandista porque senti uma extrema afinidade com a energia que senti quando participei da gira. Tenho o objetivo de ajudar o desenvolvimento espiritual.

 

Bandeira da Amizade