Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 22 agosto de 2017

Casamento e cruzamento de Pai de Santo no TPM

“A Umbanda não tem script”. Com a frase que o Pai Fernando sempre falava, foi aberta a cerimônia de casamento e cruzamento de pai de santo, na última segunda-feira (15), pela Mãe Lucília de Iemanjá.
O filho da casa, Edson Oliveira, o Didi, e sua noiva Thiara de Santana Lima, que hoje residem em Barra Grande, na Bahia, vieram para o casamento e foram surpreendidos com o cruzamento, que já estava nos planos da Mãe de Santo.
Com muita emoção, Didi contou como ele vive a Umbanda, nesses anos que está longe do terreiro. Já morando bem longe de Curitiba, sempre que visitava a cidade, vinha conversar com o Pai Fernando e com as entidades que regem o terreiro.
Numa dessas conversas com o Pai Maneco, o preto velho contava como a Umbanda é informal e simples e disse que o Didi era um filho de muita fé. Então pediu para o filho de Oxóssi, que levasse a Umbanda e a cura na cidade onde ele morava.
Farofa, feijão e peixe seriam os elementos para ele trabalhar sua fé com àqueles que precisam. Então Didi, a partir daquela data, convidou pessoas para fazerem um jantar em sua casa, onde todos manipulariam esses elementos.
Um pequeno congá, pontos de Umbanda e seguindo um ritual, essas pessoas se conectam com os orixás e vivem a Umbanda de uma forma diferente, como o Pai Maneco explicou que poderia ser. Deixam ali suas dores, dividem problemas e multiplicam alegrias.
Depois do relato, Didi foi cruzado Pai de Santo e na sequência seu casamento foi abençoado pelas entidades escolhidas para padrinhos, pelos padrinhos materiais e por todos os presentes nessa gira sem script.

Bandeira da Amizade