Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, quinta-feira, 14 dezembro de 2017

Prefácio

Redigir o prefácio de um livro gera imenso prazer ao mesmo tempo em que exige uma grande dose de responsabilidade.

Quando o assunto em pauta nos é familiar, esta tarefa é ainda mais árdua, pois não temos um olhar suficientemente neutro para uma abordagem objetiva. Nada , porém, é tão gratificante quanto compartilhar uma paixão e, lisonjeada, tento me colocar à altura de tal empreendimento.

Este livro nasceu de um grande amor pela religião escolhida; é um depoimento genuíno de Fernando Guimarães, cuja familiaridade com o mundo das letras vem da infância, e cujo apreço pela espiritualidade é amplamente reconhecido.
Grifos do Passado vem suprir uma lacuna, organizando os princípios seguidos no Terreiro do Pai Maneco de modo claro e inequívoco. Escrito numa linguagem coloquial e sem os excessos de didática que poderiam tornar a leitura enfadonha, o livro é formado por pequenos contos, numa seqüência dinâmica de experiências que envolvem, ensinam e, muitas vezes, divertem.

Devemos pontuar, entretanto, que a intencional facilidade da leitura, conduzida com sabedoria pelo
autor, comporta conceitos filosóficos de uma profundidade ímpar. Ao leitor atento, que sonhou com um livro simples, porém profundo, que fale da necessidade da ousadia sem perder de vista a importância da disciplina, aqui está, finalmente, uma lição de vida: as histórias de Pai Fernando de Ogum, nosso querido Babalaô.

Cristina Mendes - Mãe Pequena do Terreiro do Pai Maneco

Bandeira da Amizade