Terreiro de Umbanda do Pai Maneco, terça-feira, 12 dezembro de 2017

Salve Ogum

Ogum é o Orixá da guerra, da demanda e da luta.

Seu filho é influenciado por todas as suas características. Possui tipo esguio e procura sempre estar bem fisicamente, por isso gosta de praticar esportes. É agitado, impaciente e afoito. Tem decisões precipitadas. Inicia tudo sem se preocupar como vai terminar e nem quando. Por amar o desafio, sempre está buscando uma tarefa considerada impossível. Como o soldado que conquistava cidades e depois as largava para seguir novas conquistas, o filho de Ogum persegue tenazmente um objetivo, mas quando o atinge, imediatamente o larga e parte à procura de outro.

É insaciável em suas próprias conquistas.

A presença do índio brasileiro na Umbanda é a prova incontestável de sua nacionalidade. Mesmo nas outras linhas, a sua cultura está
sempre presente. Ele representa a força. Nem poderia ser diferente, partindo de um povo morador das matas e conhecedor de todos os
seus segredos, inclusive os espirituais.

OGUM CHAMOU DAS MATAS AKUAN PRA TRABALHAR.
SUA LANÇA E SUA FLECHA SÃO ARMAS DESSE CONGÁ.
É VENCEDOR DE DEMANDA, OS SEUS FILHOS VEM SALVAR!
É GUERREIRO, É VALENTE, VAMOS TODOS SARAVAR!

Caboclo Akuan - Saravá o chefe do nosso congá!

O Caboclo Akuan apresenta-se com um corpo jovem, com invejável físico. Tem cabelos longos, ligeiramente ondulados, caídos sobre os ombros, trazendo uma fita na testa que segura uma pena.

No início dos trabalhos, com saiote de penas brancas e vermelhas, com um cocar de chefe de tribo, trazendo em uma das mãos uma lança. No braço direito, uma águia, forma de energia maravilhosa que costuma ajudá-lo nos trabalhos espirituais.

É filho de Ogum com atuação na vibração de Ogum Naruê, sabidamente o chefe dos Caboclos Quimbandeiros. Tem estreita ligação com o Caboclo da Pantera.

É FRANCO E DIRETO - Não admite a fraqueza

"Esperança é a arma dos covardes. Ela acoberta o comodismo e protege a preguiça. Troque a esperança por determinação, que tudo vai dar certo."

"Os filhos estão nesta casa trazidos pela dor, necessidade ou pela fé. Quando a dor suaviza, a necessidade desaparece, a fé arrefece. Zambi atende todos os pedidos pela fé. Assim, desaparecendo a necessidade, quando a fé arrefece, a dor pode voltar. Meus filhos, se o Sol está entrando em suas vidas, cuidado com o retorno dos maus tempos. Só a fé é ouvida por Zambi. Fé e dedicação, culto aos espíritos e o interesse pelos necessitados antes dos seus. Prefiro ter os meus filhos da minha casa pela fé, do que pelo retorno da dor."

Editorias: Pai Fernando.

Bandeira da Amizade